ALDEIA DE ALJEZUR

Aljezur é uma terra de origens distantes e marcada por vários vestígios arqueológicos. As pessoas começaram a vir para esta terra há 7 000 anos a.C.

Há um rio no centro e de um dos seus lados está a cidade velha, que foi intensamente desenvolvida no século X quando os mouros (berberes) se estabeleceram aqui pela primeira vez. A aldeia é dominada pelas ruínas de um castelo mouro (século X), que se situa no topo de uma colina estreita e muito íngreme de paralelepípedos. A entrada para as ruínas é livre e as vistas do topo da colina são espectaculares. A aldeia situa-se no vale do rio rodeado de colinas.

A população de todo o município é de cerca de 6000 pessoas. As maiores aldeias são Aljezur e Odeceixe. Para ser honesto, os visitantes não se concentram em explorar a aldeia, a maioria vem para desfrutar da natureza em redor. Felizmente, ainda não há muitos turistas. Talvez porque o transporte não está desenvolvido no município.

Guia de Aljezur
Guia de Aljezur
Guia de Aljezur
Guia de Aljezur

História interessante. Como um terramoto mudou a vida de Aljezur.

O Castelo de Aljezur e a aldeia à sua volta foi construído pelos berberes numa meia ilha rodeada por um grande rio. Al jezur significa “ilha” em árabe. Foram responsáveis por muitas estruturas na região, tais como o castelo principal, mas também pelos muitos nomes que pontilharam a toponímia da região, bem como pelas lendas e mitos que viviam entre as pessoas até agora.

Piratas.

A aldeia da Carrapateira situada entre duas praias era um local onde os piratas podiam facilmente desembarcar (Praia da Bordeira e Praia do Amado). A partir destas praias, os piratas visavam casas locais, raptando muitos e vendendo-os como escravos.

Terramoto.

Aljezur era um porto marítimo, embora hoje em dia o rio que era navegável para a embarcação de mar mal é um riacho. A meia-ilha da cidade primária foi destruída no Grande Terramoto de Lisboa (e tsunami) em 1755. A água do rio desapareceu ao mesmo tempo.

Na verdade, a origem do terramoto estava a 50 km de Aljezur, perto de Sagres, pelo que influenciou mais o barlavento algarvio do que a área de Lisboa. Este terramoto continua a ser o mais poderoso e destrutivo a atingir a Europa na história registada. O tsunami atingiu tanto a costa como o Atlântico Norte, chegou a Londres, foi noticiado na Noruega e também na costa africana. Mais informações sobre o desastre aqui.

A igreja e outros edifícios importantes foram arruinados, alguns restos mortais foram deixados do castelo. Depois de a maior parte do rio ter desaparecido, as pessoas puderam ir facilmente para o outro lado e começaram a construir casas lá, foi assim que a nova parte da aldeia se tornou mais fácil. Agora a cidade velha ainda se encontra nas colinas em redor do castelo, e a nova parte enfrenta-a noutra margem do rio. O vale, que era antes de um rio agora utilizado para a agricultura. Mesmo há 50 anos atrás o rio estava mais cheio, por vezes saía das margens e inundava a cidade, agora está mais seco e não acontece.

Guia de Aljezur

Circuito histórico-cultural e ambiental de Aljezur

Agora há um espectacular passeio circular pela cidade velha de Aljezur (5,5 km de comprimento). No seu caminho, pode visitar o museu municipal, que tem exposição em português, mas ainda assim interessante. Aí pode pegar no mapa desta rota ou verificá-lo aqui online. Além disso, o percurso passa pela cidade velha, alguns outros museus, igreja, castelo, vestígios do antigo porto. Está disponível um guia áudio para o passeio.

Guia de Aljezur

EXPATRIADOS NA ZONA DE ALJEZUR

Magnífica cidadezinha esconde-se na natureza deslumbrante da costa ocidental algarvia. A localização da própria cidade é espantosa. Pode encontrar em torno de numerosas praias rochosas deslumbrantes, falésias altas e terríveis, colinas verdes para passear. Pequenos povoados brancos a aparecerem aqui e ali, nas colinas.

Famosa via costeira de S. Vicente (ou Rota Vicentina em português) atravessa Aljezur trazendo peregrinos a caminhar por uma das vias.

As praias próximas são muito populares entre os surfistas. As pessoas vêm aqui para obter vistas espantosas das falésias e do oceano selvagem. Estão a desenvolver-se os campos de colónia de férias e de surf.

Guia de Aljezur
colinas da região de Aljezur. Algarve 2020

Muitos estrangeiros vêm aqui para viver um estilo de vida orgânico/sustentável, estar mais próximo da natureza. A comunidade hippie também tem o seu lugar, há eventos e festas (para exp. Pizza party). Expatriados comprando casas de quinta no meio do nada, terras para construir uma casa seguindo a sua visão, alguns vivem em reboques.

Fazem agricultura biológica, feita à mão a partir de materiais naturais, exploram o artesanato tradicional e práticas espirituais, formam eco-comunidades como por exemplo – colinas veganas, que foi arruinada no enorme incêndio regional do Verão de 2020. Estes expatriados atraem outros com oportunidades de voluntariado nas suas quintas. Pode encontrá-los em sites de trabalho e similares.

Na minha opinião, um forte movimento de expatriados na Costa Vicentina influencia a região de forma benéfica. Além do tempo da coroa, por causa dos expatriados, a área de Aljezur tornou-se o lar de vários eventos como yoga, meditação, retiros, encontros ecológicos, práticas espirituais. Porque o município é muito rural, a população portuguesa envelhece muito rapidamente, os jovens partem para cidades maiores, os nativos são na sua maioria idosos. Devido ao desenvolvimento de expatriados e regiões turísticas, muitas casas têm uma segunda vida.

Verifique o grupo facebook dos expatriados de Aljezur para mergulhar na comunidade local.

Guia de Aljezur

NATUREZA SELVAGEM DAS PRAIAS ROCHOSAS – COSTA VICENTINA

Guia de Aljezur

Costa Vicentina

Esta zona tem o nome de Costa Vicentina (Costa de Vincent).

Foi-lhe dado o nome da São Vicente de Saragoça o diácono de Espanha. Perseguido pelos romanos, recebeu vários tipos de tortura: foi esticado na prateleira e a sua carne rasgada com ganchos de ferro. Depois as suas feridas foram esfregadas com sal e ele foi queimado vivo, depois de ter sido deixado a morrer na prisão, no chão cheio de cerâmica partida. Pela lenda, depois, o seu corpo em pedaços foi acondicionado numa caixa atirada ao mar, foi vigiado perto da capa de São Vicente (agora com esse nome).

Caminho de São Vicente

Agora a Costa Vicentina é uma bela costa cheia de praias rochosas de uma beleza louca, estendendo-se nas regiões do Algarve e do Alentejo. Percurso Pedestre e Ciclável de São Vicente (ou Rota Vicentina ) feito para descobrir a Costa Vicentina.

O percurso tem sempre algumas actualizações, bem marcadas. Há eventos de voluntariado para marcar novas rotas e qualquer pessoa pode juntar-se a eles. O percurso tem 3 trilhos diferentes: Históricos, Pescadores (costeiros) e percursos circulares. Existem também variações de trilhos para ciclismo. Pode verificar tudo no sítio web.

caminho de santo vincente
Guia de Aljezur

Transportes

Vir a Aljezur sem carro não é uma escolha fácil, para ir a quase qualquer lugar onde se precise de um veículo próprio. Há apenas alguns autocarros para Lisboa e Lagos.

Praias

Embora todas as praias aqui sejam deslumbrantes, queremos recomendar algumas praias espectaculares nas proximidades: Arrifana, Monte Clérigo e Bordeira.

Guia de Aljezur

Guia de Aljezur

ODECEIXE

Esta vila única situada nas colinas perto de uma das mais belas praias da Europa e tem lugar em 7 ‘maravilhas’ de PortugalPraia de Odeceixe. Fronteira da aldeia a norte traçada pelo rio Ceixe, que traça a fronteira natural entre as regiões do Algarve e do Alentejo. Se atravessar a ponte – vai encontrar-se no Alentejo.

Odeceixe pertence à Costa Vicentina – Costa Vicentina, que vai de Sagres ao Alentejo e tem percursos muito longos a pé.

Verifique mais sobre Odeceixe aqui.

Guia de Aljezur
Guia de Aljezur

Explore o Algarve connosco. Para apoiar o nosso trabalho, pode reservar visitas e excursões no nosso sítio web.